Primeiro rastreio nacional da voz artística lançado por GDA, Ministério e Egas Moniz

A GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas, o Ministério da Saúde e o Hospital Egas Moniz lançam, no Dia Mundial da Voz de 2017, o primeiro Rastreio Nacional da Voz Artística em Portugal. O anúncio desta iniciativa inédita será feito no Teatro Nacional D. Maria II, no dia 15 de abril, com a presença do secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado. O rastreio começa em Lisboa na Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz.

O Dia Mundial da Voz, a 16 de abril, será este ano assinalado em Portugal pela apresentação do primeiro Rastreio Nacional de Voz dirigido à comunidade artística, mas aberto a toda a população. Este rastreio – que começa em Lisboa– será feito pelo menos uma vez por ano em todos os distritos e regiões autónomas, assegurando desta forma a possibilidade de fazer o diagnóstico precoce de várias doenças típicas dos profissionais da voz. Serão muitas centenas de exames em cidades e regiões onde até à data os artistas lá residentes não tinham acesso a eles.

O lançamento deste rastreio resulta de uma iniciativa da GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas (a entidade que em Portugal gere os direitos de propriedade intelectual de músicos, atores e bailarinos) em parceria com o Ministério da Saúde e o Hospital Egas Moniz, em Lisboa, cuja Unidade de Voz se tem distinguido como o principal ponto do Serviço Nacional de Saúde (SNS) onde são prestados cuidados de saúde diferenciados na área da voz aos artistas portugueses. Fundada em 2005, esta unidade conta com médicos otorrinolaringologistas, com uma terapeuta da fala vocacionada para a voz profissional e com um professor de Canto, atualmente o tenor Luís Madureira, professor de Canto na Escola Superior de Música de Lisboa.

O Rastreio Nacional de Voz será apresentado no dia 15 de abril, sábado, no Teatro Nacional D. Maria II, com a presença do secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado. Na sessão, que terá início às 11:00, intervirão também o presidente da GDA, Pedro Wallenstein, e Rita Perez, a presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental. O cantor  Miguel Ângelo falará sobre a importância de uma voz saudável na carreira dos artistas. A descrição da forma como se irá processar o rastreio pelo país será feita pela fundadora da Unidade de Voz do Hospital Egas Moniz, Clara Capucho – a “Dra. Voz” (ver perfil em anexo) –, que se deslocará durante os próximos meses a todas as sedes de distrito e às ilhas para lá realizar os mesmos rastreios de voz que, nos últimos anos, tem realizado em abril no seu hospital.

“O rastreio é uma forma de chamar a atenção dos cantores e dos atores portugueses

para os cuidados regulares que estes devem ter com o seu aparelho vocal: a exigência permanente a que a voz  profissional está sujeita desenvolve algumas patologias que, se não

forem detetadas cedo e corrigidas, comprometem a prazo a qualidade do desempenho artístico”, afirma Clara Capucho.

A cirurgiã otorrinolaringologista saúda o acordo entre a GDA e o Ministério da Saúde para que a sua Unidade de Voz possa levar a centros de saúde de todas as capitais de distrito e das regiões autónomas os mesmos cuidados de saúde vocal que o Hospital Egas Moniz presta aos artistas em Lisboa. “A GDA e a Fundação GDA sempre se distinguiram por proporcionar aos seus cooperadores condições concretas para o seu bom desempenho profissional. Mas sem o apoio do secretário de Estado Saúde, Manuel Delgado – e da presidente do Centro Hospital Lisboa Ocidental, Rita Perez – não seria possível estender estes cuidados a todo o país”.

Para além de acompanhar há muitos anos os artistas cooperadores da GDA com problemas de voz, Clara Capucho é a responsável pela consulta de voz realizada nos Serviços Sociais da Câmara de Lisboa.

Como é habitual, a primeira atividade que irá celebrar o Dia Mundial da Voz será o rastreio gratuito às pessoas que se desloquem ao Hospital Egas Moniz a partir de dia 10 de abril: 10 e 11 serão dedicado a guias, intérpretes e tradutores; dia 12 será a vez dos fumadores; e dia 13 será dedicado aos profissionais da voz, atores e cantores: nesse dia haverá durante o rastreio pequenas atuações artísticas apresentadas por alguns dos mais conhecidos cantores e atores portugueses. “É muito importante para a saúde vocal dos portugueses que as pessoas, regularmente, façam um exame às suas cordas vocais. É isso que permite fazer o diagnóstico precoce de várias doenças, entre as quais o cancro da laringe”, afirma Clara Capucho. O rastreio voltará ao Hospital Egas Moniz nos dias 18, 19 e 20 de abril (ver anexo).

“A Fundação GDA tem sido uma das organizações que, em Portugal, mais consistentemente tem promovido uma cultura de saúde da voz”, afirma Pedro Wallenstein, presidente da GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas. “Para além das estruturas de prevenção e diagnóstico precoce que temos dinamizado, a GDA tem tido igualmente um papel importante no apoio e acompanhamento de casos críticos graves de alguns artistas”.

Comments are closed.