João Paulo Cuenca no prefácio do FOLIO

Começa amanhã, 2 de setembro, a partir das 18 horas, uma das primeiras grandes
iniciativas do FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos 2015: a Residência
Literária, com o escritor João Paulo Cuenca. Este projeto pretende desenvolver o
património literário sobre Óbidos, bem como promover e apoiar jovens autores de
manifesta qualidade e cimentar as pontes literárias e culturais no espaço da Lusofonia.
Esta residência decorrerá até 29 de Novembro de 2015, na habitação criativa Josefa de
Óbidos, na vila de Óbidos.

João Paulo Cuenca, durante este período, compromete-se a criar uma obra literária com
referência a Óbidos, apresentar o seu trabalho literário no FOLIO – Festival Literário
Internacional de Óbidos e promover, durante o período da residência, a interação literária
com a comunidade local. Esta é uma iniciativa que terá a ESAD – Escola Superior de Arte e
Design, das Caldas da Rainha, como parceira.

Recorde-se que o FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos 2015 decorre entre 15
e 25 de outubro e será, segundo Humberto Marques, presidente da Câmara Municipal de
Óbidos, “o grande evento do País e o ponto de encontro dos melhores escritores”. Para o
autarca, “a Cultura e a Literatura são transversais a todos os setores da sociedade” e, por
isso, Óbidos quer ser “o lugar do livro”.

Luis Fernando Veríssimo, Raquel Kushner, Ungalari ba ka Kossa, Reinaldo Moraes, Gonçalo
M. Tavares, Mia Couto, Carola Saavedra, Ricardo Araújo Pereira e Pedro Mexia são apenas
alguns dos escritores já confirmados no festival.

O programa incluirá ainda música – com António Zambujo e Maira Andrade a cantar
Caetano Veloso, por exemplo – teatro – com Gregório Duvivier a fazer stand up poetry,
entre muitos outros – cinema, exposições, aulas, maratonas de leitura, iniciativas através
das quais, segundo a organização, os artistas celebrarão “o triângulo Portugal – África –
Brasil”, sob o mote da “folia”.

O FOLIO tem como curadores José Eduardo Agualusa, na área dos Autores, Anabela Mota
Ribeiro, na área da Folia, Teresa Calçada e Maria José Vitorino, na área da Educação, e
Mafalda Milhões, na área da Ilustração.
Com um orçamento de cerca de meio milhão de euros, comparticipados por fundos
comunitários, o festival contará com a presença de centenas de escritores e autores de
vários países do mundo, com especial enfoque para os que compõem o universo lusófono.

Comments are closed.