“Efeito Trump” vai trazer empresas mexicanas a Portugal em setembro

A ameaça do presidente dos EUA quebrar o acordo comercial com o México já está a produzir efeitos. A Comissão Europeia e o Governo mexicano marcaram cimeiras para abril e junho para relançar as relações económicas entre os dois blocos. Em julho haverá uma missão empresarial portuguesa ao México e, em setembro, dezenas de empresas mexicanas visitarão Portugal. Os embaixadores Alfredo Pérez Bravo e Jorge Roza de Oliveira participam neste anúncio, no dia 16, às 14:30, no auditório do Millennium BCP, em Lisboa.

Dezenas de empresas mexicanas vão visitar Portugal em setembro deste ano no âmbito de um projeto liderado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Mexicana (CCILM) e apoiado pelos governos dos dois países. Esta visita é uma consequência direta do presidente americano, Donald Trump, querer alterar o NAFTA, o acordo comercial que une os Estados Unidos ao México e ao Canadá – e vai ser anunciada esta quinta-feira, em Lisboa, numa sessão com a participação dos embaixadores dos dois países, de Andrés Espinosa, o diretor da ProMéxico (a agência de promoção da economia mexicana no estrangeiro) para a Portugal, e de dirigentes da AICEP.

“Portugal está na linha da frente da oportunidade que constitui a reorientação do mercado mexicano dos Estados Unidos para a Europa”, afirma Miguel Gomes da Costa, presidente da CCILM. “O México vive um momento de grande investimento e tem uma enorme necessidade de empresas estrangeiras que ajudem a concretizar os seus planos. O trabalho de companhias como a Mota-Engil ou a JP-Inspiring Knowledge [ex -JP Sá Couto], entre outras, construíram para as empresas portuguesas no México a reputação de estarem na vanguarda da qualidade europeia”.

O embaixador do México em Lisboa, Alfredo Pérez Bravo, confirma a intenção de empresas mexicanas investirem em Portugal e de contratarem mais empresas portuguesas como fornecedoras. “Os problemas que enfrentará o comércio entre o México e os Estados Unidos [devido ao anúncio de Trump] aconselham o México a procurar uma maior diversificação das suas relações económicas”, afirma o embaixador numa mensagem dirigida aos empresários portugueses (ver mensagem em anexo). “Portugal, os seus empresários e os seus produtos, destacam-se como novos sócios estratégicos”, conclui o embaixador.

Alfredo Pérez Bravo, tal como o embaixador português no México, Jorge Roza de Oliveira (este através de videoconferência), participam esta quinta-feira, 16 de março, às 14:30, na sessão do auditório do Millennium BCP (Rua do Ouro nº 130, Lisboa) que irá anunciar a vinda das empresas mexicanas a Portugal: estas, segundo o Portugal Connect – o projeto da CCILM de promoção do intercâmbio entre empresas tecnológicas portuguesas e mexicanas – terão uma forte representação dos setores agroalimentar, de tratamento de resíduos, materiais de construção e consultadoria. Nessa ocasião, será também anunciada uma missão empresarial portuguesa ao México em julho, a qual conta já com a participação de 15 empresas (lista em anexo). O setor agroalimentar, automóvel, dos moldes e da eletrónica e da consultadoria são os mais representados. Esta missão será enquadrada com verbas europeias do Portugal 2020 destinadas à promoção de empresas portuguesas no estrangeiro.

Desde a tomada de posse de Donald Trump como presidente dos EUA que as negociações económicas entre o México e os países europeus têm vindo a acelerar. Em fevereiro a comissária europeia do comércio, a sueca Cecilia Malmström, e o ministro mexicano da Economia, Ildefonso Guajardo, marcaram duas rondas negociais para abril e junho próximos para atualizar o Acordo de Comércio Livre entre o bloco europeu e o México: recorde-se que o fluxo anual de mercadorias entre os dois parceiros mais do que duplicou entre 2005 e 2015, tendo passado de 26 para 53 mil milhões de euros.

O embaixador português no México, Jorge Roza de Oliveira, tem sido um dos maiores entusiasta de que as empresas portuguesas aproveitem a oportunidade que as políticas de Donald Trump lhes proporciona. “O México oferece imensas vantagens para as empresas portuguesas em variadíssimos setores: automóvel, aeroespacial, tecnologias de informação, infraestruturas”, afirmou o embaixador em outubro de 2016 durante uma visita ao México de empresas portuguesas do setor automóvel e aeroespacial. “São setores muito promissores para investimentos conjuntos de empresas dos dois países”, conclui o embaixador.

Comments are closed.